g2h

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Berne no cachorro traz

Berne no cachorro traz um desconforto de magnitudes indescritíveis para seu querido cão.

Causada pelas larvas da mosca varejeira, ela se desenvolve embaixo da pele, e é muito mais comum em cães que vivem em contato com moscas e insetos.

A mosca varejeira tem a duração de 24 horas de vida, então ela não tem muito tempo para se reproduzir e proliferar os ovos.
Como mecanismo de perpetuação de espécie, a mosca varejeira captura outro inseto – na maior parte outras moscas – e deposita
 seus ovos nele. Esse inseto acaba encontrando um mamífero e hospedando a larva em seu corpo. Por isso é comum haver um
 cão com berne em um lugar sem moscas varejeiras.

O parasita forma um buraco dentro da pele do animal e esse machucado precisa ser tratado para não infeccionar.
Também há a importante questão de que nem todos os medicamentos são indicados para e a pele e o pelo de todos os cães.
Por isso, antes de pensar em passar algo no cãozinho e tratá-lo você mesmo, lembre-se que isso pode piorar o seu incômodo.

Depois de seis dias após a postura dos ovos, as larvas de primeiro estágio já estão formadas.
Quando então o inseto pousa sobre um animal, o calor deste, seus odores e a presença do gás carbônico
emitido por sua respiração estimulam as larvas, que saem dos ovos, perfuram e penetram a pele do hospedeiro,
ficando apenas com o espiráculo – parte respiratória da larva – voltada para fora e podem permanecer no local
atingido por até 40 dias ou mais. E em apenas uma semana de parasitismo a larva já aumenta em até oito vezes
o seu tamanho. Assustador, não é mesmo?

Uma vez na pele do animal (ou humano), os ovos eclodem e as larvas ficam livres. É claro que elas são muito pequenas
e normalmente passam despercebidas. Através de uma ferida ou pelos folículos pilosos elas penetram e permanecem na
camada subcutânea da pele. O corpo do indivíduo infectado reage à presença do parasita, aumentando a sua contagem de células
 brancas do sangue, e isso muitas vezes faz com que a ferida para secretar pus. Enquanto isso, a larva se alimenta
constantemente, respirando pelo buraquinho formados pelas pústulas. Elas podem permanecer ali de 5 a 10 semanas!

Geralmente o tratamento mais recomendado é a utilização de medicamentos que devem ser passados sobre a pele do cachorro
e que impedem a respiração da larva. Quando o remédio for passado, lembre-se de impedir o cão de lamber o local, pois
 além de ele poder se intoxicar, vai tirar o efeito do tratamento.

Depois que a larva morre, o local deve ser espremido (pelo veterinário) até que se consiga retirá-la completamente
com o auxílio de uma pinça cirúrgica e deve ser tratado até a sua cicatrização para que não haja mais perigo para o
cachorro. Dependendo de onde se encontra a larva, talvez seja necessário o uso de sedativos para que o seu pet não
sofra muito.
É importante saber que em caso de alguma dificuldade procure imediatamente um veterinario conhecido.



Postagens populares

Google+ Followers

Google+ Badge